O oceano é o mesmo, mas os barcos são bem diferentes

Agora temos a oportunidade de experimentar essa adaptação de maneira nunca antes vista (pelo menos para essa geração).

Os atletas enlourecidos em busca de água; mas o que eles realmente tem feito é muito preparo físico e “Lives”.

O atleta que passar por esse momento levando aprendizado e a resiliência na sua essência terá um diferencial muito grande nas próximas competições.

Mas e os técnicos? e a comissão técnica.? Trabalhando com e-mail, colocando todos os neurônios para pensar, relendo livros, conversando, aprendendo tecnologia….

O oceano de pandemia é igual para todos, mas os barcos em que cada um está são bem diferentes.

Isso não é bom ou ruim, apenas diferente. Tarefas diferentes precisam ser feitas.

O questionamento agora precisa ser: O que eu profissional posso fazer para no meio dessa montanha russa de emoção ter um tempo para mim…

Sabe, como é um tempo PARA VOCÊ, esquecendo seu trabalho, faça alguma coisa no ambiente que você se encontra que te traga paz de espírito, alegria, satisfação. Aprenda a fazer o que você pede ao seu atleta.

Há dias que serão mais fáceis, há dias que não, há dias que parece que não vale nem a pena tentar, há dias maravilhosos. Haverá dias que o fato de não fazer nada te deixa angustiado por não estra produzindo, mas quem disse que não fazer nada não é produtivo. Lembre-se precisamos de pausas.

E é isso que esse tempo nos proporciona, pausas…

Pausa pode ser e é aquele momento de não fazer nada e olhar pela janela…

Pausa pode ser e é o seu banho…

Pausa pode ser e é o seu café…

Escute seu “EU” interno, aquele que deixamos sufocado…. talvez ele te dê maravilhosas respostas e ótimos treinos…

Lembre-se do porque de se tornar quem você é…

Lembre-se do seu sonho …

Mas do que tudo, lembre-se que está na hora de colocá-lo em pratica…

Um campeão não se faz sem adversidades.

Márcia Martins
@marciapsicologiaesportiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *