O poder do hábito

O poder do hábito (por Marcia Martins)

Nas livrarias um título para lá de comum. Livre-se do seu velho hábito e em 25 dias construa um novo.

E daí você lê, fica todo entusiasmado mas não consegue concluir o plano fácil que o livro propõe; se sente mal, se sente uma pessoa não comprometida e fica pior do que quando começou a ler o livro. Seu mau hábito se torna maior e mais forte.

Quem nunca passou por essa situação atire a primeira pedra.
Atento:
1.Criamos os nossos hábitos desde pequenos, a nossa educação/cultura solidifica nossos comportamentos e muitas vezes valida esses hábitos.
2.Realmente há hábitos que conseguiremos quebrar de maneira mais fácil; por exemplo lavar a louca, arrumar a cama, dobrar a roupa.
3.Outros, por sua vez levaremos tempo.

Atento:
Esses hábitos vêm de nossas crenças de como nos enxergamos, de como pensamos e agimos. Sim há um caminho para essa mudança. Primeiro ter consciência desses hábitos, saber o que esses hábitos fazem e provocam em nós.

Essa reflexão:
A reflexão será sempre o início para essa quebra de hábito. O que buscamos com ela? O que queremos com ela?
Se não soubermos onde queremos chegar qualquer lugar valerá a pena… Se não soubermos por que mudar os hábitos irá nos tornar pessoas melhores, não há empolgação que consiga mantê-los para automatiza-los.

Pare imediatamente com todo o “bla-bla-bla” e vamos colocar em pratica essas informações… mãos a obra…

Responda rápido e não pense muito.
O que você mudaria na sua vida? Que hábito te incomoda?

Escreva!
Escrever é o primeiro ato de comprometimento do que você quer fazer, do que você quer e deve mudar.

Agora pare e repense o que você escreveu. Faz sentido? Ou quando pensamos rápido agimos por impulso?!

Você realmente deseja essa mudança e está disposto a realizá-la?

O quanto você esta disposto a realizar?

Estes motivos realmente importam e são legítimos?

Comece sempre com uma coisa simples… isso vale para tudo… lembre-se de um bebê aprendendo a andar ou a ficar em pé; foram muitas etapas. Subestimamos o que é mais fácil, queremos sempre o difícil.
Passo a passo mudamos; atentos ao que realmente queremos e o mais importante, atentos para o que precisamos nesse momento.

Marcia Martins

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *