Por que a Betina Lorscheitter “sente-se Mormaii”

1- Qual o motivo que te levou a Natação? Paixão pela H2O também vale…

Comecei a nadar com 5 anos por incentivo dos meus pais que sempre acreditaram ser importam a prática de esportes e principalmente a natação, por ser um esporte muito completo. Quando comecei não imaginava me tornar uma atleta, eu sempre adorei piscina e o mar então as aulas de natação eram um momento muito feliz do meu dia. No verão sempre íamos pra Praia em SC, eu e minha irmã passávamos praticamente o dia todo no mar brincando, e pegando onda de bodyboard.

2- Em que momento a modalidade passou do recreativo para o competitivo?

Eu comecei a competir logo depois de aprender a nadar os 4 estilos, acho que tinha por volta de 8 anos. No começo só competições regionais, depois campeonatos brasileiros. Com 14 anos fui campeã brasileira na minha categoria (infantil) e garanti minha vaga na seleção nacional que disputaria o campeonato sul-americano infanto-juvenil. Foi nessa época que percebi que ser atleta de natação era o que eu gostava de fazer. Os treinos e os objetivos nas competições foram evoluindo junto com a necessidade de mais comprometimento, disciplina e dedicação ao esporte.

 

3- Depois de passar muito tempo na H2O com Cloro, o que te levou a mudar para as provas de Maratonas Aquáticas? Esta mudança foi tipo “amor a 1a vista” ou teve idas e vindas?

Em 2010, incentivada pelo meu treinador, comecei a focar meu treinamento nas maratonas aquáticas e participar de todas as etapas do circuito Brasileiro. Logo nesse primeiro ano, fiquei em segundo lugar no ranking nacional e já fui chamada pra disputar competições internacionais representando o Brasil. Lembro que as primeiras vezes que competi a distância de 10km foram bem difíceis e não curti muito. Porém, continuei nadando mais provas e fui adquirindo mais experiência e gostando cada vez mais da modalidade.

4- Esporte e educação… Qual o futuro de um sem o outro?

Eu acredito que o esporte e educação estão totalmente ligados. Esporte é educação pra vida!! O esporte me ensinou valores que me fizeram uma pessoa melhor. Desde criança eu aprendi a ser disciplinada, dedicada, responsável e a trabalhar duro nos treinos para alcançar meus objetivos. E o que considero mais importante: o esporte ensina que vc nem sempre vai vencer, mas sempre terá a próxima competição pra tentar novamente. Fases boas e ruins fazem parte da carreira de qualquer atleta e os campeões são aqueles que continuam acreditando e conseguem superar as dificuldades.

5- Mudanças… O que te faz pensar que a atual administração da CBDA vai realmente dar um novo rumo aos esportes aquáticos do Brasil?

Acredito que a alternância de poder é sempre benéfico. A gestão do esporte precisa de transparência, credibilidade e correta utilização dos recursos financeiros, o que se provou não estar acontecendo na administração anterior. A mudança vem com a promessa de regularizar essa situação, trazer critérios claros e maior participação dos atletas, técnicos e clubes nos processos de decisão da Confederação. Desta forma toda a comunidade aquática renova a esperança no continuo desenvolvimento da modalidade.

6- Você se considera uma Atleta profissional? Por que?

Sim. Eu considero a natação o meu trabalho e dedico praticamente todo o meu tempo diário ao que envolve ser um atleta de alto rendimento. Treinos, alimentação, descanso… tudo está alinhado para o desempenho máximo. Além disso, tenho responsabilidade para com o meu clube e apoiadores que investem em mim e também com as pessoas que me acompanham, os que torcem por mim e aqueles que de alguma forma se inspiram com as nossas atitudes e conquistas.

7- Hoje, como uma Atleta que tem um “salário” para exercer esta função deve comportar-se diante de vida pessoal, estudo e “trabalho”?

Venho tentando cada vez mais me aproximar e me comunicar melhor com todos que acompanham a minha carreira, para incentivar a prática do esporte das águas abertas, transmitir os valores do esporte e agregar apoiadores que me ajudem a alcançar meus objetivos dentro e fora da água. Acredito também, que nós atletas de alto nível, somos referência para muitas pessoas, em todas as idades, atletas ou não, e temos a responsabilidade de impactá-las de forma positiva e sermos exemplos dignos da sua admiração.

8- O que te faz pensar que hoje Você esta na melhor estrutura clubista para seguir desenvolvendo seu potencial?

Hoje o Grêmio Náutico União é o clube que mais investe nas maratona aquáticas no país. A equipe que mais sobe ao pódio no geral feminino e masculino em todas as etapa do Campeonatos Brasileiro. Nós atletas do GNU, temos ao nosso lado excelentes profissionais entre treinadores, preparador físico, médicos, fisioterapeutas. Além disso, contamos com uma estrutura física de piscinas, academia e equipamentos específicos para propiciar alcançarmos nosso melhor desempenho.

9- Defina em 3 palavras: Professor Kiko, GNU e Equipe GNU.

Trabalho; Tradição; Força

10- Por que a Betina “sente-se Mormaii”?

Sentir-se Mormaii pra mim é estar presente, aproveitar o momento. É como eu me sinto quando estou no mar.. consigo sentir a água e a natureza me envolver. É como fazer parte daquela imensidão azul e o mundo lá fora fica pra depois.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *