Desculpas e Justificativas na Natação!

Boas!
Gostaria de agradecer ao Amigo de Fé, Irmão e Camarada Patrick Winkler pelas respostas da semana passada, e também pela cobertura da Travessia do Canal de Ilhabela…

Os elogios a Você, Organização e Evento foram extremamente positivos…
Valeu também, Betina, Allan, Samir, Rafa, Muri, #minhamelhormarca #mormaiinatacao #sintasemormaii, este time é “porreta”!

Depois dos agradecimentos, vem a “cobrança”… Já nadou?!

Quando nadava, sempre escutei e participei de algumas historias de “desculpas” ou “justificativas” para alguns resultados não tão satisfatórios…Oclinhos, sunga, maio, mochila e tantos outros apetrechos fizeram e ainda fazem parte das famosas desculpas depois de um mau resultado, ou até mesmo para uma ausência em um treino.

Pra ser sincero, como sempre fui e sou um apaixonado pela água, as minhas desculpas eram mais sobre como “escapar” da escola para ficar mais tempo nadando, mas vamos para algumas que conheço e presenciei.

Uma vez um amigo, com muitos “MUI” amigos disse logo antes de nadar os 1.500 que seu oclinhos tinha quebrado… No mesmo instante apareceram pelo menos uns oito na cara dele, sendo que uns 3 eram iguais aos dele; resumindo: NADOU os “miliquina” naquela e em mais umas 5 competições seguidas.

Minha iniciação competitiva foi no extinto Natação Iara Clube (NIC) de São Bernardo do Campo onde o FEMININO era muito forte, inclusive nossa Técnica, Professora Elena Scarpelli era linha duríssima o que fez de Nós pessoas com um percentual de desculpa muito pequeno comparado aos dias de hoje.

Me lembro de um garoto (13 anos de idade) que chegou para treinar e disse que havia esquecido a sunga. Perguntei ao mesmo quem arrumava a mala, e a resposta foi: MINHA MÃE.

Na sequência lhe dei duas opções:
1) Nadar de cueca;
2) Nadar com a sua bermuda;

A resposta foi: Minha bermuda é muito larga!

A minha 3a opção foi: tire o cadarço do tênis, amarre a bermuda e pronto, resolvido o seu problema! Ele nadou, fez o treino inteiro resmungando mas fez. Sei que hoje se isso acontecesse, e a terceira alternativa fosse novamente utilizada, eu estaria escrevendo e não digitando pois na cadeia provavelmente não tem computador.

Acredito e muito que o principal ponto do esporte competitivo é o de poder aprender que as desculpas de hoje serão os problemas de amanhã. Ter a responsabilidade de assumir os teus erros, falhas ou esquecimentos, apenas reduzirá a probabilidade de no futuro Você se tornar +1 folgado e irresponsável pra continuar transferindo a culpa para algo ou alguém.

Me lembro de uma passagem muito boa com meu Irmão onde na prova de 400m nado livre, nosso Técnico insistia para que ele batesse a perna mais forte. Num dado momento onde ele continuava gesticulando e urrando: PERNA! PERNA! PERNA!
Meu Irmão levantou a cabeça e gritou: “NÃO DÁ, TÔ CANSADO!!!!!”

A resposta foi simples, no treino seguinte a competição, meu Irmão fez uns 5.500 metros só de perna…

Outro amigo que veio para os Estados Unidos e ao terminar as 200 jardas borboleta disse ao “Coach” que havia “sentido” um pouco o final da prova. No dia seguinte fez 10×400 borboleta. Ao terminar o “Coach” lhe chamou e disse: Sabe para que lhe servir esta serie? a resposta foi: Não.
O “Coach” disse: Esta serie é para Você nunca mais dizer que “sentiu” o final da prova! “SEE YOU TOMORROW” !

Quando estamos dispostos a fazer algo, seja ele em qualquer “plano”, esportivo, profissional ou pessoal, eu acredito que ou Você faz, ou Você faz!
Não existe outra opção, na verdade existe sim, a de nem começar se o seu comprometimento não for algo próximo de 110%.

Se Você espera um resultado positivo, costumo dizer que os que investem 100% tem mais chances de alcançar seus objetivos, mas mesmo colocando 100% não existe garantias de alcançar mas como já disse; de chegar MAIS próximo.
Aos que não estão nesta “pegada”, sinto dizer que suas chances são muito menores pra não dizer extremamente baixa quase zero.

Objetivo requer empenho e comprometimento. Para se programar, tenha sempre um objetivo claro e metas tangíveis para não se frustrar ou desistir no meio.

Converse com seu Professor ou Treinador, para juntos traçarem metas tangíveis e motivantes assim Você vai evitar ter que pensar em desculpas ao invés de pensar no treino!

De agora em diante, cheque seu equipamento antes de sair para o treino ou competição, reveja periodicamente suas metas e objetivos, e o principal: NUNCA diga que sentiu o final da prova… pelo menos para o seu “orientador” e evite um provável 10×400 Borboleta!

Um forte e molhado abraço,
Indiani

Alexandre Indiani
#ENCONTRO NACIONAL de TÉCNICOS
#MORMAII NATAÇAO e WETSUIT
Skype a.s.indiani / USA +1 904-525 0644